Wildcard SSL Certificates
Ano:  
TELAMTESTE!
HistóriatestetestetesteMatérias


Quem, quando e onde? A fundação de Sorocaba
29/06/2022

Beda Krusf, na aula inaugural, por ocasião da solene abertura dos Cursos da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Sorocaba, em 7 de março de 1954, proferiu as seguintes palavras:

"A vila de Sorocaba foi fundada no lugar denominado Itavovú, onde em 1654 já existia feito vila por despacho de D. Francisco de Souza, Governador desta Capitania. O lugar onde se acha a cidade, era da Sesmaria do Balthazar Fernandes.

E desejando este mudar a vila para aqui, onde já tinha construído uma Igreja a Nossa Senhora da Ponte que depois ficou sendo de São Bento e existindo já alguns moradores, fez neste sentido a competente petição.

É, pois, motivo justo estarmos reunidos em jubilosa solenidade para comemorarmos, condignamente, a existência tricentenária desta cidade, iniciada e construída sob a divisa dos monges de São Bento: "ora et labora". Em nome, e como filho, embora indigno, de São Bento, apresentamos a todos os Sorocabanos votos congratulatórios, implorando as bênçãos de Deus e da Santíssima Virgem para a felicidade temporal e sobrenatural de todos."
[13]

BALTHAZAR NÃO FUNDOU

Em conformidade com Beda Krusf, a historiadora Sonia Nancy Paes diz que "o documento oficial mais antigo de Sorocaba é o testamento de Isabel de Proença, segunda esposa do fundador de Sorocaba, Baltasar Fernandes. A data de fundação da cidade é de 1654 justamente pela data de registro desse testamento. Se o testamento do próprio Baltasar Fernandes fosse encontrado talvez mudasse a história da cidade". [17]

Sendo assim, trata-se de um erro! Além do testamento de Isabel Proença registrar "sorocabua" e "sorocava", o verdadeiro fundador de Sorocaba deveria ser Diogo de Onhate, "um homem que tinha oito filhos e levou muitas frechadas na defesa das terras da Coroa, ficando manco e aleijado do braço esquerdo".

Até recentemente era desconhecido, ou despercebido, por Historiadores, fixado na "capa" deste grupo, um documento datado de 7 de março de 1608 registra “terras de Diogo de Onhate próximas ao rio Nharbobon Sorocaba e sendo caso que do rio Pirayibig para a banda do campo não houver a légua de matos (...)”. [3]

Nharbobon ou Nharybobõ, na língua nativa, significa "ponte". Mas isso, e Diogo de Onhate, são temas para outros momentos...

MAIS VELHA, E TALVEZ MUITO MAIS ANTIGA

D. Francisco de Souza chegou em Sorocaba em 3 de junho d 1599, ocasião de fundação de um povoado, onde levantou um pelourinho [1]. Em 19 de março de 1605 D. Francisco de Sousa é convocado à Espanha durante a sua ausência, os moradores do Vale das Furnas trasladaram-se para Itavuvu, às margens do rio Sorocaba, 2 léguas a nordeste de Araçoiaba e cêrca de meia légua a jusante da barra do rio Pirajibú, à sua margem direita [2].

Entre aqueles que confirmam esses escritos está Adolfo Frioli, cujas palavras são as que mais respeito, escreveu em 1997, na página 30 de “A idéia da cidade”:

"Quando D. Francisco retornou da Espanha, elevou este novo local com o nome de vila de São Filipe, em 21 de abril de 1611, em referência provável à administração hispano-portuguesa dos Reis Filipes, no período da União Ibérica das coroas." [4]

SILÊNCIO

A partir daí até a chegada mudança do Itavuvu para o centro da atual cidade "tudo é silêncio na História de Sorocaba", segundo as palavras de Aluísio de Almeida. Tanto o destino de D. Francisco de Souza quanto os acontecimentos até 1654, são ainda mistérios a serem desvendados.

Com certeza, em 12 de maio de 1611 D. Francisco está no Sertão [5], menos de um mês antes ele estaria no Itavuvu. Teria o 7° Governador-Geral do Brasil encontrado alí o seu destino?

Alguns poucos autores dizem que os empreendimentos de D. Francisco em Sorocaba terminaram em 1612 [8]. Outros que parte dos metalúrgicos voltou para São Paulo e outra parcela continuou mantendo a fábrica, que produziu até 1615 e um terceiro grupo mudou-se para uma região melhor, às margens do Rio Sorocaba, conhecida então como Itavuvu, cerca de 12 quilômetros a leste do Araçoiaba. [6]

Sendo o "período do silêncio", neste ponto é conveniente e necessário perguntar se Balthazar Fernandes não partiu de Santa Ana de Parnaíba para Sorocaba, mas do bairro Itavuvu, local onde e talvez sempre esteve? Alguns registros me dão a certeza que desde 1609 ele estava numa canoa no Rio Sorocaba, e:

1° - Aluísio de Almeida supõe que sim! Segundo ele, além "de ter feições castelhanas (pele morena), a imagem trazida por Balthazar em 1654 podia ser a Nossa Senhora de Montesserrate, orago do Ipanema, ou outra do próprio Balthazar e é provavel que já se chamasse Nossa Senhora da Ponte antes da mudança do pelourinho para o atual lugar, pois o Itavuvu é à beira-rio e tinha provavelmente a primeira ponte". [13]

2° - Em 23 de setembro de 1619 André, irmão de Balthazar, obteve para si uma sesmaria onde havia encontrado ouro e Balthazar obteve sesmaria num "Porto de Canoas". [7]

3° - Segundo João Monteiro Salazar, foi em 1620 que os habitantes se retiraram para o Itavuvu [8]. Em 6 de janeiro desse ano, em carta que dirigiram ao donatário, afirmavam os mineradores, aos juízes e vereadores:

"que havia na serra de Araçoyaba, 25 léguas daqui para o sertão, em terra mais larga e abastada, e perto dali com três léguas está a Cahatyba (Bacaetava) de onde se tirou o primeiro ouro e desde ali ao Norte haverá 60 léguas das cordilheiras de terra alta, que toda leva ouro principalmente a serra do Jaraguá, Nossa Senhora do Monserrata, a de Voturuna e outras" [9].

4° - Em 1628 uma grande comitiva conduzida por André Fernandes passou 30 dias num porto ainda não identificado pelos historiadores, construindo canoas. Sabe-se que viram moradores no Itavuvu e que D. Cespedes chamou o local de Nossa Senhora de Atocha, cuja imagem sacra é também chamada La Morenita. [10]

5° - Se, após 9 de dezembro de 1634, “Balthazar teria deixado definitivamente sua casa grande em Parnaíba”, onde esteve até 1654? Ano em que se estabelece em Sorocaba? [11]

6° - A imagem de Nossa Senhora da Ponte, que se encontra atualmente no Mosteiro de São Bento de Sorocaba, não é realmente aquela que foi trazida por Balthazar Fernandes e as "provas parecem surgir a esse respeito com certa facilidade". [16]

CIDADES RELACIONADAS

Sorocaba/SP
Araçoiaba da Serra/SP
São Paulo/SP
Iperó/SP
Itu/SP
Santana de Parnaíba/SP
Cubatão/SP
Boituva/SP
Votorantim/SP
Cuiabá/MT
Itapeva/SP
Itararé/SP
Rio de Janeiro/RJ
Santos/SP
Sarapuí/SP
Capivari/SP


RELACIONAMENTOS

Bairro Itavuvu83 registros
Balthazar Fernandes221 registros
Francisco de Sousa281 registros
Rio Sorocaba171 registros
Pelourinhos25 registros
Ouro917 registros
Luiz Castanho de Almeida5 registros
Nossa Senhora da Ponte9 registros
Afonso Sardinha, o Velho215 registros
Luis de Céspedes García Xería32 registros
Pela primeira vez439 registros
Ferreiros/Metais93 registros
Rio Pirajibú31 registros
Geógrafos e geografia433 registros
Clemente Álvares98 registros
São Filipe71 registros
Rio Sarapuy50 registros
Capelas/Ermidas243 registros
Ribeirão das Furnas19 registros
A primeira ponte15 registros
Bandeirantes748 registros
Bairro de Aparecidinha66 registros
Pontes90 registros
Guayrá42 registros
Salvador Pires33 registros
Salvador Pires, moço3 registros
Fazenda Ipanema277 registros
Apiassava das canoas31 registros
Guerra de Extermínio46 registros
Bituruna43 registros
André Fernandes97 registros
Caminhos à Sorocaba2 registros
Anthony Knivet27 registros
Antonio Raposo Velho6 registros
Cornélio de Arzão49 registros
Geraldo Beting28 registros
Wilhelm Jostten Glimmer44 registros
Apoteroby (Pirajibú)44 registros
Lopo de Souza15 registros
Aldeia de Taiobi7 registros
N.S. de Monte Serrat do Itapeboçu14 registros
Diogo de Unhate45 registros
Estradas antigas498 registros
Gaspar Conqueiro33 registros
Serra de Jaraguá48 registros
João de Barros de Abreu15 registros
Rio Parnaíba 1 registros
Nossa Senhora de Montserrate91 registros
Aldeia de Tabaobi12 registros
Pirapitinguí79 registros
Escravizados em Sorocaba194 registros
Frei Agostinho de Jesus24 registros
Itapeva (Serra de São Francisco)106 registros
João de Laet14 registros
Luís Castanho de Almeida28 registros
Maçons1011 registros
Mortes no Sabarabussú10 registros
Vuturuna38 registros
Peru79 registros
Caminho São Paulo-Santos14 registros
Rio Ypanema33 registros
Sabarabuçu132 registros
Salvador Correia de Sá e Benevides110 registros
Serra de Paranapiacaba65 registros
Suzana Dias54 registros
Ytutinga15 registros
Capela de N.S. Monserrate19 registros
Estátuas, marcos e monumentos19 registros
Nossa Senhora da Escada24 registros
Montanha Sagrada DO Araçoiaba91 registros
Porto "misterioso"17 registros
Rio Anhemby / Tietê212 registros
Cahativa / Bacaetava58 registros
Mosteiro de São Bento81 registros
Piqueri34 registros
Rio Tibagi18 registros
Abayandava17 registros
Rio Paranapanema68 registros
Domingos Fernandes30 registros
Fazendas60 registros
Cavalos e mulas109 registros
“Índios”368 registros
“o Rio Grande”27 registros
“Sorocabanos” históricos1179 registros
A Santa Cruz7 registros
Africanos70 registros
Caminho de Paranapiacaba4 registros
Caminho do Mar92 registros
Gonçalo Correia de Sá11 registros
Rio do Peixe4 registros
Fontes/Referências:

[1] Revista do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, 1998. Página 31.

[2] “História da siderúrgica de São paulo, seus personagens, seus feitos”, 1969. Jesuíno Felicíssimo Junior. Página 8 e 9

[3] Sesmarias: 1602-1642 (1921) Departamento do Arquivo do Estado de São Paulo p. 33, 34, 35 / projetocompartilhar.org/sesmarias.htm

[4] “A idéia da cidade”, 1997. Adolfo Frioli. Página 3 / “Memória Histórica de Sorocaba I”, Aluisio de Almeida. Página 341

[5] "SP na órbita do Império dos Felipes: Conexões Castelhanas de uma vila da américa" p.188

[6] https://brasilbook.com.br/r.asp?r=6197

[7] "Baltazar Fernandes: Culpado ou Inocente?" pág. 44/45 - Bandeirantes e Bandeirantes p.85 / projetocompartilhar.org/Familia/ClementeAlvares.htm

[8] Araçoiaba e Ipanema, 1997. João Monteiro Salazar. Página 61.

[9] Jornal Correio Paulistano, 22.06.1929, página 5. “As mina de ouro do Jaraguá”, tema da conferência realizada em 21 de junho de 1929, no Instituto Histórico e Geográfico, pelo coronel Pedro Dias de Campos.

[10] “Affonso de Taunay e as duas versões do mapa de D. Luis de Céspedes Xeria (1628)“ ” Jorge Pimentel Cintra, José Rogério Beier, e Lucas Montalvão Rabelo (USP) 2018 / brasilescola.uol.com.br

[11] Revistado do IHGSP p.212

[12] "Memória Histórica de de Sorocaba" Aluísio de Almeida / "Baltazar Fernandes: Culpado ou Inocente?" p.71

[13] Beda Krusf, na aula inaugural, proferida por ocasião da solene abertura dos Cursos da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Sorocaba, 07.03.1954

[14] “Memória Histórica de Sorocaba: Parte I” (21/12/1964) Aluísio de Almeida p. 336 / 346

[15] *Revista do Instituto Histórico e Geográfico de S. Paulo: “Nossos Bandeirantes - Baltazar Fernandes” (1967) Luiz Castanho de Almeida

[16] Jornal Cruzeiro do Sul (03.04.1982) página 7

[17] Sindicado dos oficiais de registro civil de Minas Gerais,, 29.01.2014


Últimas materias
07/08/2022
De São Paulo a Sorocaba
03/08/2022
Caminho até Ipanema
03/08/2022
Aniversário de "Sorocava"
31/07/2022
Etepararange
31/07/2022
CANIBALISMO, NUDEZ E POLIGAMIA
30/07/2022
Corrigindo Luiz Castanho de Almeida: Parte III
30/07/2022
Corrigindo Luiz Castanho de Almeida: Parte II
29/07/2022
Análise da obra de Luiz Castanho de Almeida: Parte I
29/07/2022
Sorocaba: no limite de Tordesilhas
29/07/2022
Minas de "Surucava"





Biografias/temas
Imagens
História
Cidades



Hoje na história!


Hoje na História: 20 de Agosto
43 registros


BRASILBOOK - http://www.brasilbook.com.br
Agradecemos as duvidas, criticas e sugestoes
Compilado por Adriano Cesar Koboyama
Colaboradores:
Simone Garcia
João Libero
Amora G. Mendes, Matheus Carmine